domingo, 21 de novembro de 2010

Microconto/45

Tinha o dom de rascunhar a vida. Descobrira por acaso e o dom se tornara também seu vício.
Bastava escrever o que gostaria de tirar do seu passado e voilà!, estava feito.
Foi bom, durante um tempo. Mas um dia, desistiu de mudar as coisas. Viu que a vida, sem erros, sem memórias e com todas aquelas manchas de rasura, tinha simplesmente perdido a graça.

2 comentários:

Aprendiz disse...

Retribuindo o Carinho.
A arte é a imitação do Divino.
Mas não podemos mudar as coisas, apenas o nosso jeito de vê-las.
E isto já faz diferença.

Um abraço

www.aprendizdoinvisivel.blogspot.com

Talles Azigon disse...

menina eu também vi te lê e olha que idéia mais incrível a do teu projeto

eu não publico todo dia, não mais, questão de preguiça ^^

olha preciso te conhecer

quero que participe sim do zine

me add no orkut

procura

Talles Azigon

quero te fazer um convite

abraços