terça-feira, 13 de julho de 2010

Poesia/67

A vida anda, a vida voa
E me faz rir à toa
A vida passa e me transpassa
Num sorriso bobo
A vida é doce, mas tão doce
Que até enjoa
Em seguida, ela se azeda
Pra que eu ainda goste dela
Depois, me distrai
Com um jantar de velas...
E eu me entrego sem medidas!

A vida corre, a vida sopra
E me despenteia
A vida segue, joga flores,
Mas também sujeira
A vida é mansa, a vida é braba
E me descabela
E é correndo ao lado dela
Que eu a enxergo tão bela
E me vejo refletida
Fera ontem, hoje princesa...
Essa é a vida!

7 comentários:

O Jardim disse...

Muito legal seu projeto! Estou seguindo aqui! Espero sua presença lá no meu blog! (:

http://jardim-das-hesperides.blogspot.com

Helenize disse...

oi gostei da poesia e do projeto. quisera eu conseguir todos os dias...parabens...abraço...

http://zeitgeistonline-zeitgeist.blogspot.com/

Christine Wengrzynek disse...

Bonito o poema, parabéns ;D

http://cgw-sonhoperdido.blogspot.com

Vava Ribeiro disse...

Tatyana,
Parabéns pela poesia.
A vida, com seus matizes é o que faz a grande diferença para seus viventes, ou para os que sabem dela se empanturrar nas delícias.
Obrigada pelo comentário em meu blog.
Um forte abraço.

Suelen disse...

UAU! ADOREI essa. E preciso vir aqui mais vezes, né? A cara já até mudou e eu nada de vir... Continue adiante! Apareça(m) sempre! ;*

Kylvia Amaral disse...

ADOREI ESSE!!!!!!!!!!!
Perfeito.
É tipo "falou e disse" =D
Concordo plenamente.
xerim

Tatyana França disse...

Pessoal,
valeu pelos coments! ;) Que bom que curtiram!

E Su: pois é criatura! Tem que dar mais as caras por aqui mesmo! hehehe.