quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Crônica/22



Coração despedaçado

Tive um sonho. Sonhei que meu coração se dividia em pedacinhos. Cada pedaço ficava com alguém que eu amava.
Primeiro, eu me sentia aflita, com medo, pensando que quanto mais gente eu amasse, menos coração teria. Porém, era justamente o contrário: quanto mais eu amava, maior ficava o meu coração.
E isso acontecia porque quando alguém me amava, também me dava um pedaço de seu coração. E assim, nunca faltava coração para ninguém. Era com os pedacinhos de outros corações que eu reforçava o meu e ia vivendo.
Se o amor acabava, o pedaço que eu tinha dado para aquela pessoa, voltava para mim. Eu via em meu sonho momentos em que deixei de amar algumas pessoas e via quando aqueles pedacinhos do meu coração retornavam, danificados, maltratados. Mas nada que o tempo não pudesse amenizar, consertar ou fazer esquecer.
No final do sonho, eu me sentia bem, afinal. Tinha dividido meu coração e ainda assim, ele estava multiplicado. Ele estava despedaçado, mas num sentido bom.
Assim eu gostaria que fosse durante essa minha existência. Dessa forma, meu coração poderia estar despedaçado depois de toda uma vida, mas estaria, com certeza, pleno e feliz.

Fonte da imagem: Mar de palavras

4 comentários:

Sâmia disse...

Lindooooo!!!
Taty, bom saber que a gente pode ser feliz assim, né?
Um brinde a isso, com café e pão carioquinha!!! Td de bom, rapaz...

karla C. disse...

Ai, nossa! Que texto lindo. Pequeno, mas toca a gente de uma maneira gigantesca. Como é bom pensar no amor de forma tão aberta e livre! Absolutamente terno!

Também fico muito p. da vida com esse povo famoso nas eleições. É um absurdo, o pessoal não tem formação ou informação alguma e se elege. A stripper deveria ser super popular na sua cidade, hen? rsrs (rir pra não chorar)
Beijão!

http://viciose.blogspot.com/

Nicelle Almeida disse...

Amei o texto repleto de comparações. Parabéns! =)
Obrigada pela visita em meu blog, aparece sempre por lá, tá?
Tem post novo =D
Um grande beijo!!!!
www.nicellealmeida.blogspot.com

Jéss disse...

Nunca tinha pensado nisso. Adorei o teu texto de verdade, e espero que em algum plano invisível aconteça exatamente isso - que corações se dividam e se compartilhem.

Estou te seguindo.