sábado, 22 de janeiro de 2011

Poesia/122



Ninguém é dono de ninguém

Eu poderia apenas te amar
Mas eu também quis te ter
E agora me resta lembrar
Que um dia eu fui teu bem querer

Hoje eu sei e confesso
Ninguém é dono de ninguém
Por isso eu te peço
Não me condene mais, meu bem

Aprendi que amar é deixar livre
E não engaiolar quem se ama
Entendi que a paixão só resiste
Se o ciúme não apagar sua chama

Eu poderia apenas te amar
Mas eu tentei te prender
E agora que não há mais volta
Só posso tentar te esquecer.

Fonte da imagem: Ellen Kleyze Blog

3 comentários:

Roseane disse...

Um dos grandes segredos do amor: deixar e ser livre.

Pedro Bortoluzzo disse...

Linda poesia ...
Amar não é prender mersmooo... E o ciúmes sempre existe, mas tem que ser aquele ciúmes saudavel, que mostre que vc se importa com a pessoa amada e que a quer bem ...
adorei seu blog...Tô seguindooo ...

Giselle Menoio disse...

Ei Tati, estou embasbacada com suas poesias... Quando escrever o livro estarei na fila dos autógrafos!!!!! Também estou seguindo... bjs...