sábado, 5 de fevereiro de 2011

Poesia/133

Ponto final

Eu resolvi pousar
aqui e acolá...
Pousar nas asas de um morcego,
procurando por sossego;
Pousar em terras verdejantes,
esperando um bom amante.
Pouso ali e me crivo,
tentando encontrar alívio.
Mas a estrada me chama,
clama por minha presença.
Acumulo sapiência
e raízes não existem.
Busco até as horas tristes,
também um pouco de paz.
Busco um lugar de repouso
e, quando pouso, quero mais.
Talvez eu me entregue à sorte
ou volte ao ponto de partida.
Talvez eu plante dálias
para colher margaridas.
É certo que um dia eu pare
e repare no cansaço.
Então, traço os próximos passos,
misturo calma e embaraço,
pouso bem num roseiral.
Vivo mais um desenlace
e pinto um ponto final.

2 comentários:

Fabio disse...

Querida Taty,
Again another amazing piece of work. I love how it makes me feel at ease. How i can envision myself in it.
Love it
Fabio

Jardim das Hespérides disse...

Olá Taty... A muito tempo atrás você comentou em um blog meu, o Pinguim Rosa, mas eu havia parado de postar lá. Porém resolvi voltar a escrever lá e renovei o layout! Então vim convidá-la para visitar o Pinguim Rosa e também o Jardim das Hespérides.

http://jardim-das-hesperides.blogspot.com

e

http://pinguimrosa.blogspot.com

Obrigaada!
Beijos,
Barbara Fiedler.